Carta a Ann Romney

A propósito das eleições americanas em Novembro próximo, a propósito do candidato republicano Mitt Romney e da sua louríssima mulher que se perfilam para ocupar a cadeira mais importante do mundo, a propósito do descrédito à política económica de Obama, ao desabono ao inédito Medicaid e às medidas de apoio e protecção social verdadeiramente inovadoras, missão inquestionável de um governo de um estado, escreve esta americana uma despudorada e certeira carta a Ann Rommney, senhora que tem por estes dias subido a vários palanques para dissertar sentidos louvores ao seu husband num merchandising digno da Coca-Cola, e que eu considero obrigatório reportar neste Blog democrata.

Por cá, o Borges, estava a pedir uma carta destas.

No one really gives a shit that you are rich. No one begrudges you a good life or is insinuating that Mitt didn’t work hard to earn your money. Granted, “working hard” may have a vastly different meaning than taking over companies, loading them with debt, gutting them and then collecting huge fees to anyone with a modicum of conscience and decency, but we’ll get into that, as well as the tax havens and loopholes he milks for every last dime, some other time.

What you don’t seem to be able to get through your pretty little blond cranium is that, while you may have had to live in an apartment sans multiple Cadillacs and dancing horses in your college days, you always knew that there was a familial safety net there to catch you if you fell.

(…)

In other words, you living like many of us live our entire lives for a couple of years isn’t reality…it’s a cute story, an anecdote to chuckle over at Thanksgiving dinner in one of your many mansions. It’s bullshit. You don’t know what it’s like to be a regular American any more than I know what it’s like to be a Sudanese orphan or a fucking amoeba. I think it would make us all feel slightly better if you would just conjure up a little goddamned humility and admit that.

mais

Anúncios

2 thoughts on “Carta a Ann Romney

  1. Se lá pelos States comer atum e pasta é “estar” ao lado do cidadão comum, imagine-se quantos votos por cá não poderá arrecadar o politico que um dia disser que também passou por tempos tão dificeis que até usou jornal para limpar o traseiro! É que por cá tempos dificeis não são de atum e pasta mas sim de andar atolado em merda de consecutivas cagadas politicas, é que quem está cá embaixo nunca tem onde se abrigar!

    1. lá como cá tb existe mt mais pobreza do q a ‘pobreza’ q come atum e massa. a gaja é q n consegue descer mais baixo do q a ‘pobreza’ do atum, para ela o atum é bater no fundo. o q se há-de fazer a uma rica-loira? é isto.

Diga-me...

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s