Momento gourmet

Se há coisa que me irrita é ouvir certas mulheres dizerem que quando vão para férias não metem o pé na cozinha, pior, fico com ataques nervosos de as ouvir com a frase, o marido não quer que eu faça nada, são as minhas férias. Esta de se referirem ao seu marido, como o marido, é uma coisa que me faz imensa impressão simplesmente porque as sinto porem-se imediatamente em posição de cãezinhos de louça de línguinha vermelha de fora a arfar perante o marido que, pela sua grande benevolência as poupa de descascar cebolas quinze dias por ano, falo em cebolas como podia falar em chalotas ou cebolinho, ainda que, nos restantes trezentos e cinquenta dias trabalhem como umas moiras, às vezes cheias de dores de barriga e hemorragias menstruais encostadas à pedra mármore que até parece que alivia, e a ajuda que suas Excelências lhes prestem seja a célebre perguntinha do, ‘precisas de ajuda’.
Bem, mas eu como não tenho marido e mesmo que o tivesse nunca diria que, ‘o marido quer que eu não faça nada’, porque mesmo que ele quissesse que eu não fizesse nada, eu faria, cozinho sempre nas férias.

Cozinhar nas férias estando em férias numa casa de férias é das coisas mais agradáveis que posso fazer em férias pelo simples facto de que estou com tempo e posso esticar ainda mais o meu tempo que é meu pertence e se torna manso por se chamar férias, e então deleitar-me nos petiscos da química com que namoro a cozinha. E os jantares ficam tardios e longos, há gaivotas por perto a gritar de prazer e a mesa torna-se amena o que nos convida a ficar, saboreamos coentros frescos com o suco das conquilhas apanhadas na praia, lambemos as mãos com o sumo da meloa a escorrer, deitamos uma perna na cadeira do lado com um vestido curto de pele morena, beberricamos cerveja pela garrafa gelada, mastigamos mais devagar o sabor do peixe grelhado acidificado com limão, cortamos quadradinhos de batata salteada em manteiga com salsa picada e tiramos uma dedada de gelado com bolachinhas de chocolate esmigalhadas.
Aqui em casa abro sempre o jantar com um apontamento de amor a que baptizei de ‘momento gourmet’- ou corto tirinhas de pão que levo ao forno a torrar e de seguida pincelo-os com manteiga enriquecida com alho picado e oregãos, ou faço uns folhadinhos mistos com mozzarella e fiambre, ou mexo uns ovos com bacon e partilho-os depois com tostas quentes regadas com um fiozinho de azeite – e à chegada da praia de peles tisnadas e toalhas aos ombros ouço-os gritar, ‘então hoje o que vai ser o gourmet?’

6 thoughts on “Momento gourmet

  1. Um momento destes a meio da manhã faz-me pensar que deveria ter reforçado o pequeno-almoço enquanto furiosamente olho para o relogio esperando a hora de almoço. Pura sensualidade gastronomica, gostei e recomenda-se!

  2. Já vi (ou li) que andas em andanças culinárias de puro prazer. Que pena não o termos partilhado este ano! Também eu estou mortinha para arranjar o jantar, cozinhar uma coisa aqui outra acolá, ver a casa cheia de gente em volta de uma mesa posta e composta de boas iguarias, gente de que se gosta e música. Sempre música.

    1. Minha querida Teresinha, a pena é minha, a pena é minha… e pensas tu, que quando ando nestas petiscadas não me lembro de ti, da Martinha, e da mesa cheia e linda que tu pões sempre e que foi assim no Verão de 2011?!
      Ó pá, as noites estão lindas!

      Pró ano, sim?

Diga-me...

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s