Pedrito vai ao Teatro

Mas um 1º Ministro de um país que tem crianças, pais, famílias inteiras a passar fome, famílias sem emprego que contam os tostões para ir ao supermercado, à farmácia, ao Centro de Saúde, jovens a darem o salto do país à procura de trabalho deixando as famílias desprotegidas, tem o descaramento de ir passar o serão, ‘maila’ sua Excelentíssima mulata, ao teatro? Vai-se divertir? Aquela mente vazia vai dar um ar de sua graça aos fados do La Féria?
Mas o que é isto, pá?!
Toca mas é de ir buscar o morcão por uma orelha à cadeira e é pô-lo a trabalhar!

4 thoughts on “Pedrito vai ao Teatro

  1. temos este caramelo que se limita a dizer “coisas”.
    como alguem dizia ontem no tuiter: “alguem que diga ao 1ºministro que não se comentam decisoes do TC, assim, completamte à nora, antes de ir passar um bom bocado em amena e descontraida risota” !
    temos um país que sofre hoje já, as consequencias devastadoras das acções do palerma do gaspar, e é tratado como merda pelo relvas.
    este bolo, feito de merda, claro que não podia ficar sem cobertura. nada melhor que o contabilista de prancheta lá de Boliqueime. um pacóvio, que se limita a mostrar cenas, à pacóvia da maria, à conta dos meus e dos vossos impostos.
    que vergonha. que nojo….

    nada temos. e com nada iremos ficar. imaginem como vai ser o fado do La Feria em 2013.
    é que nem nos passa pela cabeça o que aí vem.
    2013 e seguintes, porque isto vai seguir até ao fim da legislatura como é bom de perceber.

    e depois o Partido Socialista. caramba, sem nada para oferecer. o Seguro é outro gajo oco, que nada tem para oferecer… portanto que se arranje alguem que se assuma e se faça um congresso! sim! um PS forte com energia e ideias, poque blocos o pcp´s não servem para nada. ou melhor, servem, mas para nos arranjar destas fatias de bolo seco que temos hoje..

    Portugal não aguenta isto por muito mais tempo.

    paulo

    1. Olha isto lindo….e não consigo dizer mais nada:

      “A contas com o bem que tu me fazes
      A contas com o mal por que passei
      Com tantas guerras que travei
      Já não sei fazer as pazes

      São flores aos milhões entre ruínas
      Meu peito feito campo de batalha
      Cada alvorada que me ensinas
      Oiro em pó que o vento espalha

      Cá dentro inquietação, inquietação
      É só inquietação, inquietação
      Porquê, não sei
      Porquê, não sei
      Porquê, não sei ainda

      Há sempre qualquer coisa que está pra acontecer
      Qualquer coisa que eu devia perceber
      Porquê, não sei
      Porquê, não sei
      Porquê, não sei ainda

      Ensinas-me fazer tantas perguntas
      Na volta das respostas que eu trazia
      Quantas promessas eu faria
      Se as cumprisse todas juntas

      Não largues esta mão no torvelinho
      Pois falta sempre pouco para chegar
      Eu não meti o barco ao mar
      Pra ficar pelo caminho

      Cá dentro inqueitação, inquietação
      É só inquietação, inquietação
      Porquê, não sei
      Porquê, não sei
      Porquê, não sei ainda

      Há sempre qualquer coisa que está pra acontecer
      Qualquer coisa que eu devia perceber
      Porquê, não sei
      Porquê, não sei
      Porquê, não sei ainda

      Cá dentro inqueitação, inquietação
      É só inquietação, inquietação
      Porquê, não sei
      Mas sei
      É que não sei ainda

      Há sempre qualquer coisa que eu tenho que fazer
      Qualquer coisa que eu devia resolver
      Porquê, não sei
      Mas sei
      Que essa coisa é que é linda”

Diga-me...

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s