Trabalhadores vão às compras

Hoje o Sôr Alexandre arrasou com a campanha inesperada que fez nas lojas Pingo Doce. Eu, que não simpatizo nada com aquela cronha e ainda me lembro bem daquelas conversetas imundas entre ele e o José Gomes Ferreira da SIC Notícias, que contribuíram para o ignóbil fosso que cavaram a Sócrates, nem muito menos sou cliente habitual Pingo Doce que, sempre achei excessivamente caro e com os produtos de marca branca de qualidade muito inferior aos produtos da marca Dia-MiniPreço, tenho no entanto que tirar o chapéu à iniciativa. Completamente inesperada no desconto promovido e no dia escolhido para o fazer – o dia 1º de Maio de 2012, ano de miséria anunciada neste país mendigante.
Marketing Puro e Duro! Para case study, esta proposta do Sôr Alexandre Pingo Doce é fantástica. A ética é que é nula, mas no marketing isso também não interessa nada.

O Senhor Inginheiro não deve estar a achar graça nenhuma, abriu os hipermercados para desconcerto das centrais sindicais que desejariam ver os trabalhadores nas ruas desta Primavera de Maio, e tem a casa às moscas. Pimba!

O número de pessoas a açambarcar no Pingo Doce, que eu já lá fui confesso, ia ao pão mas acabei por deixar €110 ao bicho, lembra uma ameaça de guerra, um aviso de tsunami. O que contraria e nos sossega o espírito é ver simultaneamente a mesma azáfama nos empregados na reposição de stocks. Donde veio tanta comida, minha Nossa Senhora?!
Mas quem está a ganhar é o tipo, não é?
Como li há pouco no Twitter, (via @luismiguelrocha: Uma coisa é certa, os funcionários do Pingo Doce nunca trabalharam tanto como hoje.), julgo não estar errada se disser que, uma das vertentes da campanha é precisamente o anular do significado do 1º de Maio – a pausa do trabalhador, nada surpreendente no perfil de pensamento da Jerónimo Martins.

Bolas, tinha tirado o dia para ler, tomar café numa esplanada e ir ver o World Press Photo 2012 e ando nesta merda de arrumar a batelada de compras que fiz na porra do supermercado na minha pequena dispensa. Mas que caraças, pá! Onde é que eu tenho a cabeça?

Se toda a gente chora vende lenços de papel

 

Anúncios

7 thoughts on “Trabalhadores vão às compras

    1. Ui, nem quero pensar! Como tenho medo de pensar como vai ser a campanha de retaliação do Continente. Preparem forças especiais!
      Mas há mt n via as pessoas tão felizes, como num concurso de título: ‘Quem leva mais?’, eram cuzadas, encontrões, mãos por cima das nossas cabeças, uma alegria desenfreada de apanhar objectos, patas de borrego e bolachas para a criançada. Chegavam ciganas da Damaia, pretos de táxi, brancos obesos de sacos vazios com ganas de os encher.
      Foi uma cena.

  1. é a escravatura dos mercados. do poder económico. merda de tempos estes.
    cabroes que passam a semana inteira a explorar os outros e a dar facadas no bem comum, pra depois irem ao domingo à missinha lavar a iálma. fodasse ao que isto chegou!
    disse me a mãe das minhas filhas. olha vou aproveitar aquilo do pingo doce. disse eu, não vás mulher. esses cabroes tão a comprar os manifestantes. respondeu ela, paulo com 300€ resolvo o mês e pagamos 150…. tá bem… que raio de resposta havia eu de dar?
    não sou rico. não me pagam férias. não me pagam doença. nunca tive férias nem natal que não me saisse do bolso. encolhi me? se calhar… a verdade é que o argumento é de peso.

    entretanto chegaram as compras. fui ajudar. olha, falei lá com uma moça, e disse lhe que não achava nada bem que trabalhassem hoje. respondeu a empregada, eu sei minha senhora. mas faz nos jeito.. e temos 1 dia pra tirar quando entendermos…

    e é isto. alguem dizia no tuiter, que supermercados que funcionam no dia de hoje, é só em países de 3º mundo.

    fiquei contente. pensei que já estavamos praí em vigesimo sétimo no ranking dos mundos ou a puta que pariu isto…

    obrigado e desculpem qualquer coisa

    paulo

    1. tás desculpado Paulo. a trabalheira q n deu arrumar os 300, faço ideia!
      ai, ai….
      sabes o q é q anda aí outra vez em força na TV? o anúncio da Cofidis, pra emprestar dinheiro aos desvalidos, vê tu?! sabes como é que aqueles sacanas cobram os atrasos nos pagamentos aos desvalidos? com ameaças presenciais e telefónicas, contam histórias aterrorizadoras, trinta por uma linha, aos desvalidos. e o Estado deixa, que quanto mais pobres houver mais emigram ou morrem que é o que lhes dá jeito.
      isto era de lhes fazer a todos uma coisa que eu cá sei…

      1. isso é uma cena… lembraste me aqueles do continente(citybank?). noutro dia houve um que me agarrou. pelo braço. eu sou um gajo pacífico e isso. mas que não se metam comigo. olhei pra mao do rapaz e depois olhei pro rapaz e disse lhe. tás me a estragar o casaco. se queres conservar os dentes larga me já. e fui apresentar queixa lá aquela merda do consumidor. que vergonha deixarem vendedores de crédito atuar desta maneira!
        o balcao continua lá no mesmo sitio, e a abordagem obscena tambem. faz me lembrar o dízimo da iurd! PQP estes gajos pá!

Diga-me...

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s