Mad Man Moon

Constipada – Deplorável – Ranhosa – Mau hálito – Dores de garganta – Expectoração – Zen dos anti-histamicos – Sobre-auto-medicada – lembrei-me hoje, e acho que até tenho uma ponta de febre, deste disco que ouvi trezentas mil vezes quando na faculdade estudava na casa da Teresa Dutchman e desenvolvíamos os projectos de Investigação Operacional, numa amalgama de gráficos Pert, Gantt, tendências e funções com os assuntos que mais e verdadeiramente nos preocupavam – rapazes, relações sexuais, amor e traição.

O que este disco tocou, minha Nossa Senhora!

Anúncios

2 thoughts on “Mad Man Moon

  1. vi que havia poste teu aqui logo de manhã. respondi a uns tuites e troquei uma conversa, pequena, com o meu amigo Zé. amigo destas coisas da musica em geral. do progressivo em particular. entretanto não tive mais tempo. só agora.
    eheh agora ía escrever, vim a correr ler te. não é verdade. só porque trabalho sentado. só por isso. mas estava muito curioso porque, naturalmente recebi no email o titulo do post.

    eu frequento várias casas de musica por essa rede fora como deves calcular. umas mais recomendáveis do que outras. mas participo em muito poucas. admino algumas, acabam por me convidar por me meter no php e o pessoal aproveita isso. tudo bem.

    participo nesta casa. com todo o gosto. gosto de te ler. é realmente um prazer. mas tu às vezes apanhas me na curva :)) completamente!
    chegar aqui, e ver a tua descrição, fantástica, de como é bom viver, ser jovem, ouvir musica com o pessoal, as namoradas/os, o detalhe das conversas sobre sexo, os amores etc, e acabar em Genesis. é algo que realmente me diz muito. muito. a faculdade não me agarrou. erradamente, eu não deixei. compliquei a minha vida. enfim…
    estive só pra escrever um #LIKE e pronto.
    para não estragar o teu texto :)
    não consegui ahah desculpa..

    isto do progressivo é algo que me diz muito, é metade da minha vida, que segurou a outra metade. não posso explicar isto melhor. não aqui. assim.
    não foi pelos Genesis que me agarrou o rock progressivo, embora façam, naturalmente, parte do meu modesto conhecimento da musica.
    muito obrigado Luisa

    paulo

    1. Fizeste muito bem escrever Paulo, é sempre um gosto ler-te e repito, acrescentas sempre mais-valia às ‘coisisses’ que por aqui debito.
      Este disco era muito bom. É todo bom. E até te digo mais, nunca tive grandes relações com os Genesis embora achasse o Peter Gabriel sensacional e de uma originalidade para a época que admirava imenso. O curioso é verificar como ‘noutros tempos’ as coisas andavam devagar… O, A Trick of the Tail, saiu em 1976 e eu só o ouço em 1984. Ontem, depois do Mad man Moon, ouvi-o todo, que saudades me fez…

Diga-me...

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s