Ter uma obra, uma força, uma vontade, uma horta

(…) A vida chega a doer, a enjoar, a cortar, a roçar, a ranger,
A dar vontade de dar gritos, de dar pulos, de ficar no chão, de sair
Para fora de todas as casas, de todas as lógicas e de todas as sacadas,
E ir ser selvagem para a morte entre árvores e esquecimentos,
Entre tombos, e perigos e ausência de amanhãs (…)

(…) Como um bálsamo que não consola senão pela idéia de que é um bálsamo,
A tarde de hoje e de todos os dias pouco a pouco, monótona, cai. (…)

(…) Torna-me humano, ó noite, torna-me fraterno e solícito.
Só humanitariamente é que se pode viver.
Só amando os homens, as ações, a banalidade dos trabalhos (…)

(…) Ter um lugar na vida, ter um destino entre os homens,
Ter uma obra, uma força, uma vontade, uma horta,
Uma razão para descansar, uma necessidade de me distrair,
Uma cousa vinda diretamente da natureza para mim. (…)

(…) E eu simpatizo com tudo, vivo de tudo em tudo.
São-me simpáticos os homens superiores porque são superiores,
E são-me simpáticos os homens inferiores porque são superiores também,
Porque ser inferior é diferente de ser superior (…)

(…) Despi-me, entreguei-me,
E há em cada canto da minha alma um altar a um deus diferente. (…)

(…) Dói-me a imaginação não sei como, mas é ela que dói,
Declina dentro de mim o sol no alto do céu.
Começa a tender a entardecer no azul e nos meus nervos.
Vamos ó cavalgada, quem mais me consegues tornar? (…)

(Fotografias da minha horta com duas semanas de trabalho / Excertos do poema, Passagem das Horas de Álvaro de Campos)

2 thoughts on “Ter uma obra, uma força, uma vontade, uma horta

  1. Vai estando um mimo, pois então! Agora o que se quer é “sol na eira e chuva no Nabal”, tudo em dose e tempo certo. Já agora, e perdoe-me a ignorância no que à hortícola diz respeito, será que já vai ter couvinhas para a consoada?

    1. Está linda, sim, e tudo o que é pequenino é bonito. Julgo que não terei a tempo couves nataleiras, as couves demoram, segundo a teoria que li, 100 dias até à altura do corte. Talvez consiga apanhar umas alfaces para acompanhar o assado.

      :-)

Diga-me...

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s